Notícia

"Quando ele nos viu em Roissy, John-Gaby nos reconheceu"


Após um ano de procedimento e muitas horas de angústia após o terremoto que atingiu o Haiti em 12 de janeiro, Cyrille e Eline deram as boas-vindas a sexta-feira à noite na sexta-feira à noite Roissy John-Gaby, o garoto de 21 meses que adotaram. Cyrille, o pai, conta-nos sobre a reunião deles. (Notícias de 26/01/10)

Seu menino é uma das 33 crianças que chegaram na noite de sexta-feira em Roissy, do Haiti. Como aconteceu a reunião?

  • Já tínhamos conhecido John-Gabyem outubro passado, no Haiti, acho que quando ele nos viu, ele nos reconheceu. Nós até tivemos seu primeiro desenho! A reunião foi calma, ele estava cansado e acima de tudo com muita fome. Felizmente, tínhamos planejado uma garrafa e compotas. Então ele adormeceu no carro até a manhã seguinte. No sábado, ele estava exausto e dormiu muito.

Onde estava seu registro de adoção antes do terremoto?

  • Tivemos o primeiro contato com o berçário, há 1 ano. Antes do terremoto, o arquivo estava terminado e nossas malas preparadas. Estávamos prontos para buscá-lo.

Você ouviu rapidamente do seu filho?

  • A partir do dia seguinte, sabíamos a priori que todos os filhos da manjedoura onde estava John-Gaby estavam seguros, mas sem mais detalhes. Depois, entramos em contato com o diretor da creche e com a fundação Enfant Jésus, através da qual fomos adotá-lo. Era o nosso único elo, inclusive na sexta-feira passada, o dia da chegada das crianças. O serviço internacional de adoção só me confirmou às 16:30 que nosso filho chegou bem na mesma noite em Roissy.

O que você vai fazer nas próximas semanas?

  • Vamos saborear os momentos com o nosso filho. Com minha esposa, aproveitaremos nossas férias para ficar com John-Gaby. Mesmo antes do terremoto, já tínhamos contato com um pediatra especializado em adoção, a fim de melhor cercar nosso filho.

Entrevistado por Stéphanie Letellier