Seu bebê 0-1 ano

O que o bebê sente quando mama?


A alimentação não responde apenas à necessidade de leite para o seu bebê: também tende a tranquilizá-lo. Você constrói relacionamentos duradouros com ele. Ao alimentar, todos os seus sentidos estão acordados. Muitos elementos lembram sua vida intra-uterina.

Seus sentidos: tudo é intenso

  • O sabor: Como o líquido amniótico, o leite tem vários sabores, dependendo da sua dieta. Sua textura também evolui. Após três dias, o colostro dá lugar ao chamado "leite de transição", mais claro, depois de vinte dias para se tornar o leite definitivo.
  • O cheiro: o cheiro da aréola da mama é muito atraente para o recém-nascido. No nascimento, colocado na barriga da mãe, o bebê "sobe" até o peito, estimulado por esse concentrado de cheiros.
  • A vista: o jogo de olhares que ocorre entre você e seu bebê é um momento de intensa troca. Ao alimentar um seio e depois o outro, ele tem acesso à diversidade de pontos de vista.
  • Audição: no corpo a corpo, no batimento cardíaco, a respiração o lembra dos sons que marcaram sua vida no útero.
  • O toque: o calor e a suavidade da pele para a pele são uma grande fonte de prazer para o seu bebê. Seus "jogos de mãos" no peito também estimulariam a produção de leite. Graças à cinestesia (profunda sensibilidade dos músculos), seu bebê, envolvido pelos braços, contido como no casulo uterino, sente-se profundamente seguro e acalmado.

Chupando, uma sensação à parte

  • Adquirido no útero, o movimento de sucção estimula a mama, enquanto exerce uma função calmante para o bebê. Este último, de maneira inconsciente, transmite mensagens ao seio, um órgão muito sensível de acordo com suas necessidades. Por exemplo, ao final da sucção, os movimentos de sucção provocam um leite mais gordo, que dá uma sensação de saciedade e que, devido à sua textura, limita o refluxo. Seu seio e sua linguagem respondem um ao outro agudamente. Juntos, eles estabelecem uma comunicação indizível.

Karine Ancelet