Seu filho 3-5 anos

Red-Caboche, o filho dos duendes: episódio 1

Red-Caboche, o filho dos duendes: episódio 1


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Era uma vez, duendes encontrados ... adivinhem? Um bebê! Chamada Rouge-Caboche por ser toda vermelha, essa criança encontrada viverá uma aventura divertida no meio de uma família estranha. Você está pronta?

  • Está escuro na charneca. Este é o momento em que os duendes estão dançando. Um carrinho passa, puxado por uma mula. E a mula galopa, porque a jovem que dirige o carrinho está com muito medo.
  • Ela sabe que não se deve ficar sozinho, na charneca, no momento em que os duendes dançam.
  • A mula galopa, galopa e a carriola salta nos seixos. De repente, uma cesta cai do carrinho. Algo se move nesta cesta. É um bebê
  • A jovem perdeu o bebê e não percebeu. Mas duendes, eles viram!
  • Naquela noite, na charneca, os duendes encontraram um bebê perdido. Como ele tinha no cabelo um belo cabelo ruivo, os duendes o chamavam de Red-Caboche. E eles guardaram.
  • Chegando na frente de sua casa, a pobre mãe notou que seu bebê estava perdido. Ela correu na charneca, procurando e chamando. Ela correu por dias e noites. Em nenhum lugar ela encontrou seu bebê. Então a jovem se trancou em casa para chorar.
  • Os anos se passaram. Red Caboche cresceu nas cavernas escondidas onde os duendes guardam os tesouros das fadas. Para ele, duendes roubavam leite de cabra e ovos de aves marinhas.
  • E assim que ele conseguiu andar, Rouge-Caboche correu na charneca, à noite, com duendes. Agora, ele sabe muito bem como entrar nas casas, em silêncio, para fazer recheios feitos por duendes: fazer xixi na cerveja, derramar tinta no leite, espalhar manteiga nos degraus.
  • Red-Caboche se diverte muito com duendes!

Red-Caboche fará uma descoberta engraçada ... O segundo episódio!

Uma história escrita por Marie-Hélène Delval, ilustrada por Benoît Debecker, publicada na revista Belles Histoires, Bayard jeunesse.